Tel.: (11) 3676-0874 - comercial@revistapetrus.com.br

Postos Independentes e os Impactos da Crise

d37a9fa8-0a18-40b1-ab61-a2a65d2262a6

As crises sempre afetam de forma mais acentuada as classes menos favorecidas. Com a pandemia da Covid-19 não foi diferente. A paralisação das atividades atingiu de forma diferente as empresas. No caso dos postos de combustíveis de bandeira independente, os impactos foram bastante significativos, explica o vice-presidente da Associação Nacional dos Postos de Bandeira Independente (ANAPOBIN), Luís Antônio Hahn.

Segundo ele essa é a categoria que vem sendo mais afetada neste cenário de pandemia, por ser formada por empreendimentos predominantemente de menor aporte financeiro. “A crise gerou queda nas vendas e passou a exigir muito mais de cada estabelecimento em condições normais. As vantagens do bandeira branca nessas circunstâncias foram diminuídas, ainda que, no nosso entender, continue sendo um nicho importante do mercado de combustíveis”.

No acumulado do ano, de acordo com a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), embora as vendas estejam se recuperando, os números para o setor em 2020 ainda são negativos: no acumulado do ano, em setembro, as vendas caíram 9,1%. Contudo, as projeções para 2021 apresentam um cenário melhor – sobretudo, com a perspectiva da vacinação da população contra o COVID-19 e a retomada da vida pré-pandêmica, que certamente deve promover a recuperação da economia.

Perspectivas para 2021

Além disso, de acordo com Hahn, a Associação vem planejando uma série de ações para atender melhor os revendedores independentes do Brasil e servir como entidade representativa do segmento. O objetivo, de acordo com o vice- presidente, é que a ANAPOBIN seja um local onde os empresários independentes possam buscar apoio, nas mais diversas áreas, para poder desempenhar suas atividades com maior poder de competição num mercado distorcido e cada vez mais acirrado.

“Para tanto, estamos trabalhando no planejamento estratégico da Entidade para atender os nossos objetivos em 2021 e nos próximos cinco anos. A ANAPOBIN, assim, espera cumprir com o seu papel e sua missão que é o de promover e contribuir para a regulação do mercado dos postos independentes no Brasil”, explicou.

A ANAPOBIN

Criada em 2006 no Rio Grande do Sul, a ANAPOBIN tem como principal objetivo “divulgar entre os quase 19 mil postos independentes do Brasil as oportunidades de negócios que podem existir pela formação de Redes de Cooperação”.

“Dos 41 mil postos de combustíveis existentes hoje no país, 46% deles são independentes, ou seja, mais de 19 mil postos bandeira branca, quase o dobro da segunda maior rede de postos existente. Se considerarmos que em cada posto trabalham no mínimo 14 pessoas, teremos 215.600 empregos diretos e, por certo, um milhão de pessoas vivendo dos frutos deste comércio essencial e estratégico para a nação”, comentou o vice-presidente.

Além disso, Hahn também explicou que somente farão parte da Rede de Cooperação, os empresários que tem como dogma e missão o exato cumprimento da lei e da ordem, da concorrência leal, do zelo pela proteção incondicional do meio ambiente, dos bons costumes, do pagamento dos impostos e da cooperação com as autoridades constituídas.

Dentre as principais missões da instituição estão:

– Defender e proteger os postos de Bandeira Independente;

– Evitar que os postos de bandeira independente entrem na clandestinidade e resgatar os que estiverem nessa situação;

– Esclarecer dúvidas, orientar, treinar, fornecer a legislação em vigor e indicar caminhos a serem percorridos pelo setor;

– Buscar junto às autoridades constituídas, o apoio à classe;

– Obter apoio do Poder Legislativo para modernizar as leis do setor;

– Servir de porta-voz da categoria junto às autoridades e aos órgãos reguladores tais como: ANP, órgãos de defesa do consumidor e às de meio ambiente;

– Falar sobre os fornecedores e parceiros já contatados sobre reduções de custos obtidas através da  negociação em conjunto, e não isoladamente como o fazem atualmente.

Para acessar a última edição da Revista Petrus, clique aqui.