Tel.: (11) 3676-0874 - comercial@revistapetrus.com.br

Por que a nova gasolina vai reduzir casos de combustível batizado

fiscal anpA nova especificação da gasolina importada ou produzida no Brasil, que passou a valer em todo o País na última segunda-feira, não proporciona apenas menor consumo, redução nas emissões e mais proteção para os motores.
De acordo com a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) e a Petrobras, a nova gasolina também dificulta a respectiva adulteração criminosa nos postos, com o objetivo de aumentar os lucros do revendedor.

Rogério Gonçalves, especialista em novos produtos da Petrobras e diretor de combustíveis da AEA (Associação Brasileira de Engenharia Automotiva), explica que isso acontece especialmente por causa de um novo parâmetro da gasolina: massa específica mínima de 715 kg/m³.

Quanto maior for a massa, maior será também a densidade energética da gasolina, explica o especialista.
“A maioria das adulterações que aconteciam no Brasil com a gasolina antiga era por meio da adição de solventes e outras naftas leves, além de gasolina de baixa qualidade. Com esse parâmetro de densidade mínima, antes inexistente, a ANP vai poder fiscalizar e controlar com maior eficácia a qualidade do combustível”. Para ler esta notícia, clique aqui.

Fonte: UOL