Tel.: (11) 3676-0874 - comercial@revistapetrus.com.br

Petrobras multada por minimizar dados de poluição marinha

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) aplicou uma multa no valor de milhões de reais à Petrobras por “problemas ambientais” nas águas residuais de uma de suas plataformas marítimas, informou o órgão na segunda-feira (5).

A petroleira deverá pagar mais de 14 milhões de reais por informar sobre uma concentração de substâncias poluentes inferior à real em águas tratadas e devolvidas ao mar em uma plataforma de extração de petróleo em frente ao litoral do Rio de Janeiro.

Depois de detectar “manchas de óleo no mar”, no início de 2017, o Ibama iniciou uma investigação técnica junto com a Polícia Federal e outros organismos, que revelou que a Petrobras utilizava uma metodologia equivocada para medir os valores desses poluentes nas águas residuais.

Segundo o jornal O Globo, o Ibama constatou uma taxa de poluição “1.925% superior” à declarada.

A investigação resultou na aplicação de cinco multas à companhia em outubro do ano passado. A Petrobras recorreu contra quatro delas, mas se comprometeu a pagar a de maior valor, de 14,28 milhões de reais.

A empresa afirmou nesta segunda-feira que está colaborando com o Ibama para mudar sua metodologia.

A Petrobras assegurou em um comunicado que “envia dados fidedignos e verdadeiros regularmente ao Ibama, atende à legislação aplicável e que todas as plataformas de produção da empresa estão devidamente licenciadas pelo órgão ambiental”.

O caso está sendo investigado pela procuradoria do Rio de Janeiro por “possíveis danos ambientais”, no âmbito da justiça civil.

Fonte: IstoÉ