Tel.: (11) 3676-0874 - comercial@revistapetrus.com.br

Petrobras e parceiros iniciam produção em Libra com testes de longa duração

A Petrobras iniciou no domingo, juntamente com suas parceiras, a produção no bloco de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos, informou a estatal em comunicado ao mercado nesta segunda-feira (27).

Conforme a petroleira, a produção no bloco envolve a entrada em operação da plataforma FPSO Pioneiro de Libra, unidade flutuante que produz, armazena e transfere petróleo, com capacidade para processar diariamente até 50 mil barris de petróleo e 4 milhões de metros cúbicos de gás associado.

Neste primeiro momento, o FPSO Pioneiro de Libra executará os chamados Testes de Longa Duração, que devem durar um ano e têm por objetivo avaliar o comportamento do reservatório de petróleo.

A embarcação é de propriedade da joint venture formada por Odebrecht Óleo e Gás (OOG) e Teekay Offshore Partners L.P. (Teekay Offshore), com participação de 50% para cada uma.

A unidade, com aproximadamente 70 trabalhadores embarcados, pode atuar em lâmina d’água de até 2.400 metros de profundidade.

Depois da conclusão desse primeiro teste, o FPSO Pioneiro de Libra será deslocado para operar os Sistemas de Produção Antecipada em outros poços de Libra, disse a Petrobras.

“Até o momento, foram perfurados 12 poços no bloco de Libra. Por sua magnitude, potencial de produção, boa qualidade do óleo e alto valor comercial, Libra abre uma nova oportunidade de negócios na indústria offshore.”

Libra, considerada uma das áreas mais promissoras do Brasil, foi leiloada na primeira rodada do pré-sal sob regime de partilha de produção, em 2013.

O consórcio de Libra é liderado pela Petrobras, com participação de 40%, em parceria com a Shell (20%), Total (20%), CNPC (10%) e CNOOC Limited (10%).

O consórcio ainda conta com a participação da companhia estatal Pré-Sal Petróleo (PPSA) como gestora do contrato.

Produção no pré-sal já corresponde a quase 50% do total

A produção do pré-sal chegou a cerca de 1,677 milhão de barris de óleo equivalente por dia (boe/d) em setembro, um crescimento de 6,6% ante agosto. Foram 1,351 milhão de barris de petróelo e 52 milhões de metros cúbicos de gás natural extraídos por dia, o correspondente a 49,8% do total produzido no Brasil.

Fonte: Globo-G1